Mirtes
Os céus que me seguem são assim:
fechados

ribemboam
batem com as estrelas na minha cara
me jogam em buracos negros
em auroras
perdidas
entre pingos
de chuvas
que se perdem
e nem chegam ao solo
e nem molham a terra

são assim como que céus de cinzas
longínquos assomos de luz e alento
que vez por outra
desabam sobre a minha cabeça
e achatam por dentro
minha alma
de cristal e trincas

os céus que me seguem
fizeram-me assim
meio voador
meio desiquilibrado
num desajeitado bater de asas
e uma esquisitice de fazer
tremer os beiços

fantasmagoriam-me os céus que me seguem
as ilusões e as fantasias
e os folguedos
e tudo de martírio e amor perdido
entre o caminho do peito e a mente
entre a ponte e o porto
entre o fundo do mar e de mim
assim são os céus que me seguem

os céus que me seguem são assim.

Silvio Carreiro

Marcadores: | edit post
Reações: 
2 Responses
  1. SolBarreto Says:

    Ahh tem dias em que meu Ceu estao assim...
    Adorei o poema!


  2. Adoramos seu blog e ja estamos seguindo.
    bjs das gurias
    www.gauchasnamoda.blogspot.com


Postar um comentário

Gostou do Blog? Deixe um comentário!