Mirtes

Pra se chegar ao coração de um pai
É preciso que se lhe arranque a cabeça
Se lhe coloque em sepulturas rasas
E se lhe o ataque a dedos em riste

Para se chegar ao coração de um pai
É preciso não ser-lhe filho
É preciso não conhece-lo
É espantar-se com o amor
Que a cada dia cresce
Junto com nossos pêlos

É absolver-se da culpa
Retida em nossos poros

É preciso perder o medo
E também perder os modos

Errar cem vezes o caminho
Se atrapalhar todo
E perguntar tudo

E chorar. Chorar muito

Chorar a seco
Inundar os olhos de terra
E encher o peito de emplastros

Andar pra lá e pra cá
Correr pra cima e pra baixo

Se esconder. Se mostrar
Se render, sem vergar

Mas há de se chegar
Há de se pedir sua bença
Ao dormir, ao acordar
Durante o sono
E nas horas
Que de si dispensa

Há de se conhecer
E experimentar
Essa emoção maravilhosa
Mesmo por um segundo
De assistir um coração bater
Até se arrebentar

Um coração amado
Onde voce viveu, sempre,
Livre como um vagabundo

Por Reli Zumanus
Marcadores: | edit post
Reações: 
0 Responses

Postar um comentário

Gostou do Blog? Deixe um comentário!